O último fim-de-semana foi animado.

O Porto, mais propriamente a Rua do Ouro, recebeu a Porto World Battle – e que bem que a recebeu.

O projecto de Max Oliveira, co-fundador dos Momentum Crew e organizador de eventos como a Bboy Gala, trouxe o cheirinho a Eurobattle, há dois anos inexistente. O nome é diferente, claro, mas o conceito mantém-se: proporcionar um excelente fim-de-semana a quem dança e a quem vai apenas ver.

Devo admitir que já tinha saudades. Lembro-me de ter os meus doze anos e esperar por aqueles três dias de animação, em que podia encontrar bboys, poppers, lockers ou hip hoppers internacionais que admirava (e admiro) e rever os que fazem da cena portuguesa uma boa “cena”.

Este fim-de-semana não estava mais ansiosa que o habitual, mas estava mais expectante. O espaço era novo e, por muito que o conceito se mantivesse, o evento também. Quantas pessoas viriam? Ia haver público que fosse lá simplesmente para se deliciar com a qualidade de quem por lá mostra o seu talento?

Fiquei contente ao perceber que sim, havia muita gente, para ver e para dançar. Gente de fora, gente nortenha, gente da capital. Havia muita gente e esta foi apenas a primeira edição.

Fiquei ainda mais contente ao perceber que, passado dois anos, nada mudou. O Max e o Mix continuam a ser os anfitriões que pedem palmas (“Agora todos, vá. Clap. Clap. Clap”), que gritam o nome dos vencedores bem alto, que procuram a piada em cada canto (como os chinelos do Márcio “Ratinho”, sucesso que quase ofuscou a excitação das finais).

Voltar a sentir o nervoso miudinho, quando a minha crew preferida vai batalhar, era algo que já nem me lembrava sentir. Ah, mas foi tão bom. Tal e qual como um adepto de futebol gritei, irritei-me e emocionei-me em cada batalha.

Na realidade, escrever este texto passado (apenas!) três dias é precoce. Como todas as coisas boas, o sentimento demora a assentar. A ânsia pela próxima Porto World Battle teima em não desaparecer e eu só posso agradecer por, durante três dias, voltar a ter sido a miúda de doze anos que quer tirar fotos e dizer “A tua batalha foi qualquer coisa do outro mundo!”. É bom “voltar” a casa!

Lista de Vencedores

Main Battles
Hip Hop 2 vs 2: Comics & Dennis (Portugal)
Locking: Willow (França)
Popping: Stockos (França)
Bboying crew vs crew: Navi Crew (Ucrânia)

Side Battles
Bboying 1 vs 1: Rato (Brasil)
Bgirling 2 vs 2: Alessandrina & Law (Itália)
Footwork: FoundKid (Portugal)
Powermoves: Power Paul (França)
Baby Battle: MadMax (Polónia)
House Dance: Sarah Bidaw (França)
Bonnie & Clyde: Alessandrina & Movycube (Itália)
TopRock: Nikita (Polónia)
Cypher Popping: T-Boy
Cypher All Styles: Deal
Cypher Hip Hop 1 vs 1: Red (Reino Unido)
Cypher Locking: Jo
PWB Best Group: LTCTFG (Portugal)

Escrito e Filmado/Editado por Joana Nogueira Santos

Fotografia de Susana Luzir/PWB

(Actualizado no dia 23/03/2017 às 08h00)

Leave a Comment